"E, nos murmúrios do vento, vão-se os meus silêncios"" (Sonya Azevedo)

 

terça-feira, 28 de janeiro de 2020

Aconchego



Ah! Nesta palidez crepuscular
Invade-me a tristeza, hora canônica
Para o refolho d'alma, dor tão crônica
Da saudade que teima em ficar.

Em asas de aves que se põem a voar,
Desfolho as lembranças nas harmônicas
Notas da baixa-mar, paz oceânica,
Misto de trégua ao pranto deste olhar.

Vejo-as seguir em prece tão ritmada
Da Ave Maria, em flap para pouso
Aos ninhos, aconchego de repouso.

A solidão se deita em parapeito
Trazendo o negro véu a este meu peito
E ateando, por erro, o amor por mi' amada. 

(Sonya Azevedo) 
My Visitors