"E, nos murmúrios do vento, vão-se os meus silêncios"" (Sonya Azevedo)

 

domingo, 1 de maio de 2016

Flor de Ilusões


Ah! Pudesse eu, ao menos, colher
Dos sonhos, a esplendorosa flor,
Que brota em um canto escuro, sem cor,
Que, por tão bela, não a quero esquecer.

Só temo que ela venha a padecer
Minguando em sua fina haste, sem amor,
Deixando em meu peito essa dor,
Imensa dor, que eu só quero esquecer.

O mar que há em mim e sai por meus olhos,
Vem doutra flor, a flor d'água que encobre
As dores, cria dos meus tristes restolhos.

Quisera eu acolher em alvos folhos,
De todas essas flores, a mais nobre:
A do amor que habita em meus refolhos.

Sonya Azevedo
My Visitors